domingo, 24 de maio de 2015

Bolo de casca de banana integral

Final de semana em casa, dia cinza, chuva... o que a gordinha aqui imagina? Bolo com café quentinho para aquecer o coração!
Não sou radicalmente contra o trigo, mas nesse tipo de receita opto pela farinha preparada sem glúten (receitas aqui - eu uso a 3). Por que? Porque ela funciona bem e o marido já consome muito glúten de outras fontes (massas, pães...). Particularmente acho que o problema é o exagero e acredito que esse é um dos motivos da intolerância estar cada vez mais comum.

Por outro lado, a grande parte dos substitutos do trigo, da cevada e do centeio, são paupérrimos em fibras. Se não for por exigência médica, acho muito duvidosa a troca de um pão integral de boa qualidade (ou até um de farinha branca não modificada!) por tapioca, por exemplo. As receitinhas não fazem parte do meu dia a dia tanto quanto o alimento in natura, mas quando me arrisco elas vêm assim, cheia de fibras. Nosso intestino agradece! :)




Ingredientes:

  • 2 ovos
  • 2 colheres de linhaça ou chia (hidratar em um dedo de água e aguardar formar o gel)
  • 2 bananas orgânicas com casca (lavadas)
  • 100mL de iogurte natural (na verdade usei kefir)
  • 1 xícara de farinha preparada
  • 1/2 xícara de farelo de aveia
  • 1/2 xícara de farelo de arroz (ou usar o dobro de farelo de aveia)
  • 1/2 xícara de coco ralado
  • 2 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • 1 maçã picada
  • castanha-do-pará picada a gosto
  • 1 colher de chá de canela
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher de chá de fermento


Preparação:
Bater no liquidificador os ovos, o gel de linhaça, as bananas com casca e o iogurte natural. Em um recipiente a parte, acrescentar a mistura às farinhas. Incorporar a maçã, as castanhas e o fermento por último. Assar em forno pré aquecido por aproximadamente 30min.

P.S.: perceberam que não tem óleo? Pois é,  eu até planejava colocar duas colheres de óleo de coco, mas esqueci! E para a minha surpresa deu certo igual e ainda ficou super úmido :)

P.S.2: falei do glúten do trigo, da cevada e do centeio, mas o bolo tem aveia e aveia tem glúten, certo? Certíssimo! Eu não me importo com isso, porque ela contem glúten apenas por contaminação. Acho que os benefícios são infinitamente maiores, mas não use se você for realmente intolerante - ou busque uma aveia sem glúten.

Bom apetite!

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Dieta paleo ou apenas comendo comida de verdade

Como eu tenho procrastinado para escrever esse post, mas não me entendam mal.

Já tem quase um ano que mudei um pouco minha alimentação e principalmente a forma como lido com a comida e com o espelho. Se for preciso rotular, chamo de dieta paleo, senão digo apenas que como comida de verdade.

Não gosto dessa nomenclatura "dieta paleo", porque acho que ela automaticamente traz uma interpretação errônea e é facilmente ridicularizada pela indústria alimentícia que está aí para fazer isso mesmo: dizer que comer como nossos ancestrais é antiquado e que o certo é ter sempre sua barrinha de cereal na bolsa. É isso que dá lucro, não é? Pois bem, só decidi assumir esse "título", porque as pessoas que me abriram os olhos e me fizeram me sentir muito mais em paz comigo também se denominam assim.

Eu li muitos artigos, alguns livros e ouvi inúmeros podcasts para descobrir que a paleo não é a dieta da proteína, não é low carb, não é a dieta do bacon (eu nem gosto de bacon...) e não necessariamente elimina grãos, frutas ou qualquer outro alimento. Como sempre deveria ser, a individualidade biológica é que determinará qual é o protocolo ideal para cada um. Em um mundo ideal, saberíamos ouvir nosso corpo e por intuição selecionaríamos o que é melhor para ele... na vida real, um nutricionista paleo daria o suporte perfeito para encontrarmos nosso caminho.

Mas o que mais me encanta é que a paleo não fala só de alimentação, mas de tudo aquilo que podemos fazer na busca por mais saúde. Dormir o suficiente, administrar o estresse, movimentar o corpo, pegar sol, evitar substancias tóxicas (como o BPA que já falei aqui) e etc.

Quem acompanha o blog há mais tempo sabe que eu sempre fui a favor da comida de verdade e pode estar se perguntando o que mudou afinal. No meu caso, as principais mudanças foram perder o medo da gordura, comer somente quando sinto fome e eliminar adoçantes ao máximo. Continuo não sendo radical, mas me sinto extremamente empoderada em ser capaz de escolher o que coloco no meu corpo, sem influência da compulsão e tampouco da neura. Isso é liberdade :)

No início eu fiz a ceto-adaptação (adaptar o corpo a usar gordura como fonte de energia) e me alimentava praticamente seguindo os instintos da fome... agora depois de dez meses nesse novo estilo é que comecei a pensar na parte estética de novo e estou arriscando novas estratégias. Para matar um pouco da curiosidade, já estou comendo muito mais carbo (do bem!) do que antes.

Aí tem um resumo do que comi esses tempos. Peixe, frango, ovos, iogurte natural, frutas ... o bolo é de cenoura com chocolate, receita do livro "Barriga de Trigo".
O broto de feijão e o chucrute fiz em casa =D

Nos próximos posts conto como iniciei, os sustos bons e ruins, além do resultado no físico. Para quem tem interesse e não sabe por onde começar, fiz um "blog roll" ali à direita com as páginas que me ajudaram nesse processo. O meu preferido com certeza é o blog do Dr. Souto e o livro A Dieta da Mente de David Perlmutter.

Compartilho também um vídeo muito explicativo de Chris Kresser, uma das pessoas da comunidade paleo que falam sobre o assunto de forma mais natural... exatamente como sinto que deve ser :)



Bjs

quinta-feira, 16 de abril de 2015

A dieta da atleta biquíni Justine Moore

Talvez pareça estranho esse título, porque eu não sou muito de dietas e muito menos de mostrar a dieta alheia como se fosse algo que alguém pudesse copiar, mas logo vocês vão entender...


De certa forma uma das coisas que me faz admirar a atleta Justine Moore e querer compartilhar a história dela aqui é a trajetória que ela fez até descobrir o que é realmente importante e a coragem de dizer que precisou rever suas crenças. A Justine conta que já seguiu inúmeras dietas e que a coisa ficou ainda pior quando entrou no mundo fitness. Para chegar ao corpo de competição, ela passava por um período de extrema privação, seguido de compulsão e culpa. - Isso soa familiar? Pode acreditar que sim e talvez ainda mais para quem precisa apresentar um percentual de gordura de um dígito durante todo o ano... ou alguém acha que isso é natural? Imaginem agora quantos corpos que você admira não escondem esse mesmo tipo de distúrbio... 

Foi no ano passado, após ser diagnosticada com fadiga adrenal e problemas na tireoide, que Justine começou a colocar a saúde em primeiro lugar. Ela conta que hoje a alimentação é saudável, mas não restrita. Noventa por cento do tempo a dieta é seguida com prazer, mas se tem realmente vontade de algo diferente, ela não se priva. E ao ouvir o corpo e encarar tudo isso com mais naturalidade a compulsão sumiu.

Abaixo está o exemplo de um dia da dieta atual. Não estou dizendo para ninguém seguir esse cardápio, mas compartilho aqui com satisfação porque ele representa muito do que acredito. É uma dieta bem equilibrada e que contempla todos os grupos alimentares, com bastante comida de verdade. É claro que para alcançar o máximo que se pode ter em termos de saúde/estética, é importante que se tenha acompanhamento profissional, mas com certeza um plano desse não deixaria ninguém com menos vitalidade ;)


Refeição 1: 4 claras de ovos com cogumelos, cebolas, tomates, tomate seco, 30g de queijo de amêndoas; 1/3 xícara de aveia com 1 colher de sopa de sementes de chia, coberto com um punhado de mirtilos e uma pitada de flocos de coco sem açúcar.
Refeição 2: shake feito com 1 xícara de leite de amêndoas sem açúcar, 40g de abacate, 40g de banana, 1 colher de proteína de soro do leite sem sabor e espinafre ou couve.
Refeição 3: frango ou peixe (85 a 110g), salada verde com couve e 2 colheres de sopa de hummus, 1 fatia de pão Ezequiel com 1 colher de sopa de manteiga de amêndoas.
Refeição 4: frango ou peixe (85 a 110g), carboidratos complexos como batata-doce, arroz integral, quinoa, ou uma mistura de grãos integrais, vegetais verdes ou salada.
Refeição 5: 170mL de iogurte grego ou queijo cottage baixo em gordura, misturado com 1 colher de sopa de manteiga de amendoim em pó PB2, 2 pacotes de stevia, 1 colher de sopa de cacau em pó sem açúcar, coberto com 1 colher de sopa de manteiga de amêndoas (minha sobremesa noturna!).




Na página pessoal da Justine ela não tem vergonha de mostrar que é gente como a gente e também tem os seus dias menos "fit". Hambúrguer, batata frita, sorvete e comida mexicana estão entre as comidas preferidas nessas ocasiões.

E assim cada vez mais me certifico de que os corpos que eu mais admiro na verdade não são só corpos e definitivamente não foram/estão sendo/serão construídos a base de frango, batata doce e aspargos... muito menos biscoitinho sem glúten e barrinha de proteína! Ahh, e claro que voz de pato rouco, espinhas, rosto super quadrado e pelos grossos também não combinariam com esse shape, certo?

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Aconteceu nos últimos meses...

Oiiii!

Nesse período ausente ensaiei mil vezes reativar o blog, mas sabe quando precisamos de um tempo só nosso? Muita coisa aconteceu desde julho (mês do último post). Me rendi à dieta paleo (por mais que eu odeie esses dois nomes: "dieta" e "paleo"), conheci atletas do fisiculturismo na Finlândia, assisti a uma palestra da top coach de lá, fiz um ensaio para uma loja de roupas fitness latino-americanas (morri de vergonha, vi várias modelos escandinavas que eu babava e descobri que é tudo muito mais luz, maquiagem, photoshop e principalmente pose... coisa que eu definitivamente não domino), terminei o meu curso lá e antes que morresse de tédio num outono cinza e gelado, viajamos de férias para o Brasil :)

1- Viagem à Talin/Estônia
2- Cores do outono. Lindo demais, até todas as folhas caírem e o sol se esconder...
3- Brincando de "modelo"
4- Jutta, a top personal finlandesa que tive o prazer de conhecer e assistir a palestra (Em finlandês! E eu entendi tudo!!)
5- Viagem à Porto de Galinhas/PE já nas férias no Brasil

E quando o coração já estava apertadinho, porque as férias estavam chegando no fim e logo precisaríamos voltar, veio a grande surpresa: esse ano ficaremos no Brasil! No início foi mais um susto, até porque nossas coisas ficaram por lá, mas não vou negar que é ótimo estar de novo na terrinha. Pela milésima vez fazer mudança, arrumar tudo de novo, planejar... e convenhamos, em português e perto da família tudo vira "mamão com açúcar"!

As informações que "milagrosamente" tem chegado até mim nos últimos tempos me levaram a ampliar o meu conceito de fit lifestyle... nunca na vida me senti tão bem comigo mesma e com tanta vontade de aprender mais e mais. Mais do que nunca, percebo a sabedoria do nosso corpo sobre aquilo que é realmente saudável para ele. Acho que foi exatamente isso que me fez querer voltar com o blog, já que essa é uma ótima ferramente para compartilhar e manter contato com gente que está no mesmo momento que o nosso e que mora em qualquer lugar do mundo.

Talvez voces não me vejam falar tanto sobre as famosas fases de cut ou bulk, suplementos, HIIT... mas vou continuar escrevendo sobre tudo aquilo que me faz feliz. O espaço continua aberto para sugestões, ok? E vamos juntas(os) no caminho para a melhor versão de nós mesmas(os).

Me desejem um bom retorno ;)

Amor e uma ótima semana!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...